Pimp my nails

Hi! No post de hoje falaremos sobre um assunto que não sai, não descasca, não perde o brilho e te deixa linda-red-carpet-style. Amgx, red pants de plantão, foi numa conversa à beira da piscina, num domingo qualquer, que descobri o que rola com os esmaltes gringos que nós caímos de paixão, leia-se Dior, Chanel, Nars entre outros. Senta, pega um drink, que lá vem bomba.

Você, colega, viciada em Instagram, We heart it, Pinterest etc, é bombardeada um milhão de vezes por dia por fotos lindas, fofas, glamurosas e brilhantes dos frascos de esmaltes das marcas mais famosas, caras e ricas do mundo. Por receber tantas infos por meio de fotos, reviews, vídeos, wish lists e recomendações das amigues e blogueiras gringas, você acaba achando que um bom e rico esmaltinho da Chanel será capaz de resolver todos os seus problemas existenciais etc. (…)Posso falar? Não resolve. E sabe por que? Porque a maioria dos esmaltes em Dólares ou Euros  não têm 4 substâncias que trazem brilho, cobertura e resistência à sua nail, my friend. E você aí achando que o Colorama, o Risqué e o Nati etc são pobrinhos… São nada! Os esmaltes nacionais trazem um acabamento envernizado que nenhum outro esmalte gringo consegue. E se a sua manicure for de fé, irmã, camarada, suas unhas durarão lindas e boas por bons 4 ou 5 dias, colega.

Pra ninguém dizer que blog de muoda só tem conteúdo fútil, um aviso: os “ingredientes” que fazem os esmaltes nacionais sambarem na cara dos importados são: tolueno, parabeno, formaldeído, cânfora e DBP. Tsá! E daí você me pergunta: – “Então por que os esmaltes importados não têm essas substâncias?”. Na Europa e nos EUA a indústria cosmética passa por um rígico controle de qualidade, e estas pequeninas substâncias tão inocentes aos nossos olhos podem danificar e MUITO as suas lindas unhas. Quem tem alergia deve ficar longe para sempre dos esmaltes nacionais (leia-se Natura e Avon também) e optar pelo luxo, o poder e a glória dos importados. Mas é aquilo, né? Passa hoje, e sai amanhã. Há quem dê a justificativa de que quem compra um esmalte Chanel tem o poder de fazer as unhas no salão quantas vezes quiser na semana. Eu discordo. Comprei o esmalte me achando “A” rica-fashion-week e me dei muito mal. Logo no segundo dia o esmalte perde o brilho e na sequência ele começa a desgastar nas pontas. Uó! Desculpa, mas ninguém quer retocar as unhas a cada dois dias.

Para quem tem alergia e só pode usar esmaltes especiais, além dos esmaltes das marcas caríssimas que “conhecemos”, uma linha nacional se destaca – a Granado. Girls, os esmaltes são desenvolvidos na França e prometem uma ótima durabilidade. É nacional, mas foi desenvolvido na França e a gente entende esse mix. Mas pera, essa não é aquela marca de sabonete de vó? Essa mesmo, mas a marca se atualizou e veio para 2014 com uma proposta bem “inovadora” para a indústria cosmética nacional. Aparentemente existe mesmo uma preocupação em entregar qualidade nos produtos, e não apenas nos anúncios bonitinhos das revistas ou nas embalagens moderninhas. Pra testar e ficar de olho. Já fiquei sabendo pela minha amiga do prédio, que para aquelas que tem alergia aos esmaltes nacionais (mesmo aos antialérgicos), dá pra usar os esmaltes da Granado sem medo. E o melhor, o preço é muito mais camarada do que os da Chanel por ex. (Granado: 17 reais, Chanel: 90 reais). As cores também são lindas e não perdem em nada para as marcas estrangeiras. Só pra contrariar, me joguei na Colorama e apostei no vermelho “Carteira Chic” da linha Acessórios. Os nomes dos esmaltes são impagáveis e valem um post a parte.

  • Se você gosta dos esmaltes importados e acha que eles oferecem brilho e durabilidade, escreva pra gente. Se você já testou os esmaltes da Granado, deixe o seu depoimento. Mas se você não tá nem aí, e só quer pintar as unhas por esporte, no heart feelings. A Ikesaki, a drogaria Iguatemi e as lojinhas de beleza de bairro agradecem ;) O que vale é ficar bonita e preservar a saúde, nean?
Anúncios