Bitch Stole My Face

Howdy! Parem as máquinas, peguem suas LVs e fujam para os Alpes! Que atire um scarpin quem é que nunca quis dar um up no visual, e por essa suave transformação leia-se: fazer um retoque no nariz, no peito, nos flancos(?), no braço, no joelho, na testa, enfim… Nada contra nenhum procedimento estético, desde que você não se transforme numa outra coisa. A coisa em questão, recebe o nome de Anitta e dizem que ela canta. Honestamente, não perderei meu tempo fazendo essa pesquisa. E as “coisas” têm se proliferado à medida que as cirurgias plásticas se tornaram mais acessíveis financeiramente e foram consideradas como uma afirmação de status. Se antes alguns procedimentos se reservavam apenas às vítimas de acidentes graves, hoje basta apenas alguns exames de sangue e a senha do cartão do banco, et voilà! João vira Maria e Anitta vira Wanessa, Léo Áquilla, Fani, Suelen… Nos EUA, várias cantoras, atrizes e socialites são uma pessoa só: Kim Kardashian ou também Nicole Scherzinger – Roselyn sanchez… E a bizarrice não tem fim. Veja o exemplo da cantora Nicki Minaj, não dá pra saber o que é pior – o antes ou o depois das cirurgias. E o que dizer destes aqui? A sequência na mesa de cirurgia segue um roteiro padronizado: primeiro coloca-se a prótese de silicone nos seios, depois modifica-se o nariz, daí vem a lipo, depois um lifting no rosto, depois aumenta-se os lábios, refaz-se o queixo e por último… Essa história não tem fim, já que a cada ano surgem novas técnicas e padrões grotescos de beleza.

Outro dia eu estava vagando pelo Instagram e me deparei com essa imagem. Alguns dizem que se denomina “selfie”, pra mim isso é outra coisa. Bastante chocada com a “coisificação” do corpo, resolvi colocar no Google o nome de um procedimento que virou mania nos Estados Unidos – o butt lift. Aqui no Brasil, essa onda pegou carona e veio no balaio das mulheres fruta, e elas estão aí nos BBBs, nas capas das revistas, nos comerciais… Até você achar que essa onda toda é muito normal e começar a criar altos fantasmas e traumas na cabeça por não ser igual a elas, e o pior, começar a pirar na academia, nos tratamentos estéticos, e acabar numa mesa de cirurgia para adquirir (à prestação) essa caçamba de caminhão que só tem espaço nos vestidinhos de viscolycra e nas leggings estampadas de ciré. Não poderia ser pior.

Pra concluir esse post super relevante e instrutivo, queria dizer que é maravilhoso poder fazer qualquer tipo de procedimento que eleve sua autoestima, que faça você se olhar no espelho com amor e se aceitar, mas até virar pro cirurgião e dizer a ele que você quer ficar com “cara de gente metida”… Foi o caso da coisa Anitta em recente entrevista ao Faustão e retransmitida pelo Fanstástico. Pausa aqui. Perceba o quanto a coisa toda é muito ruim. Como se não bastasse a transformação drástica da criatura, seu depoimento ainda foi registrado em dois programas que eu me recuso a assistir. Fiquei sabendo do vídeo porque um amigo colou o link num post que escrevi no Face. Neste caso, obviamente que eu assisti para poder responder ao comentário dele e escrever aqui. Mas voltando à solicitação da criatura ao médico…. Infelizmente ainda não inventaram próteses de silicone para o bom senso e o talento. Portanto, amigas, enquanto houver dinheiro e cirurgião plástico, haverá aberrações na TV e nas revistas. Obrigada, não quero ver ao vivo, deve ser muito pior! Ah, antes que eu me esqueça, e não menos importante, gostaria de lembrar o quanto todos estes procedimentos doem. Cortar, afinar, colocar ou tirar qualquer coisa do corpo é uma agressão, deixa hematomas, precisa cuidar e tratar, e ao contrário do que os cirurgiões dizem – dói MUITO!!!! E pra quem acha que é só isso, os riscos de se obter um resultado indesejado são enormes, tá cheio de mulher com nariz torto, peito caolho e bunda manca por aí. RE-PA-RA!

Anúncios