Wish list da semana

Hi! Você, é, você mesma, que vive perambulando pelos corredores dos shopping centers; que é aficionada por uma pechincha online; que não pode saber que um conhecido vai viajar pra fora que já vai logo fazendo uma listinha; que não passa um dia se quer sem ouvir o barulho da maquininha do cartão de crédito… Amiga, vem cá, senta aqui, pega uma água ou um chá vede, vamos conversar.

Esses dias, como de costume, fui ao Centro Espírita que frequento. Isso mesmo, nesse ano completo 24 anos frequentando o mesmo centro – a Instituição Beneficente A Luz Divina. E vai coragem aqui pra escrever e assumir que sou espírita, afinal nem todos conhecem ou aceitam esta doutrina. Enfim, amo esse lugar, minha casa, Nosso Lar. E a cada vez que passo pela mesinha que dá acesso à sala do passe, não saio de lá sem pegar um bilhetinho. A cada dia os bilhetinhos trazem passagens especiais de livros espíritas consagrados. E olha, não sei se já bati o pino, mas sempre tenho a impressão que foram “escritos” pra mim.

Retomando um pouco os fatos, no último mês me vi as voltas com a chegada da Forever21 no Brasil e o lançamento da coleção da Farm para a Adidas. Nunca li, vi, e me envolvi tanto com duas marcas assim… Detalhe: não trabalho para nenhuma delas e nem nunca fui alucinada, consumidora viciada de nenhuma delas. O interesse veio justamente pela curiosidade de saber tudo sobre estas marcas e lançamentos e trazer todas as infos para você aqui no blog. Dito isso, devo ressaltar que fui abduzida pela armadilha da moda. “Na moda” tudo é muito sedutor e bonito. A vontade que dá é de comprar tudo, como se todas “as coisas” trouxessem a realização, a felicidade, o prazer extremo. Já escrevi sobre isso algumas vezes (leia aqui e aqui), mas nesse sábado tive uma resposta brilhante a este anseio exagerado de “ter” algo novo, no caso, dois casaquinhos da linha da Farm/Adidas. E que vão ficar para a próxima encarnação, porque eles já se esgotaram nas lojas de SP e eu não quero comprar no e-commerce. Só fazendo um adendo, visitei 3 lojas na sexta-feira e liguei para outra loja no sábado só pra confirmar se ainda existia algum exemplar das estampas e nos tamanhos que eu procurava, e nada. Já se esgotaram, pronto, acabou. #Aceita

O bilhetinho do centro espírita veio depois dessa busca frenética e quase louca, e você há de concordar que fará todo o sentido. Não quero converter ninguém a nada, cada um acredita no que quer e é feliz assim. Mas como me livrei de um desejo que me consumia com a simples consciência do fato, resolvi compartilhar com vocês:

Que Pedes

Que pedes à vida, amigo?

Os ambiciosos reclamam reservas de milhões.

Os egoístas exigem todas as satisfações para si somente.

Os arbitrários solicitam atenção exclusiva aos caprichos que lhes são próprios.

Os vaidosos reclamam louvores.

Os invejosos exigem compensações que não lhes cabem.

Os despeitados solicitam considerações indébitas.

Os ociosos pedem prosperidade sem esforço.

Os tolos reclamam divertimentos sem preocupação de serviço.

Os revoltados reclamam direitos sem deveres.

Os extravagantes exigem saúde sem cuidados.

Os impacientes aguardam realizações sem bases.

Os insaciáveis pedem todos os bens, olvidando as necessidades dos outros.

Essencialmente considerando, porém, tudo isto é verdadeira loucura, tudo fantasia do coração que se atirou exclusivamente à posse efêmera das coisas mutáveis.

Vigia, assim, cautelosamente, o plano dos teus desejos.

Que pedes à vida? (Emmanuel, Médium: Francisco Cândido Xavier, Do Livro: “Vinha de Luz”).

Assim, ninguém precisa ser espírita para se identificar ou lembrar de alguém conhecido nessas palavras. Acho que tá na hora da gente dar um tempo na loucura e considerar o que é importante de verdade. Quantos não estão desesperados para trocar de carro, celular, apartamento, viajar, comprar… Será que os nossos desejos fazem sentido? São importantes de verdade? O que cada uma dessas vontades esconde de fato? Da mesma forma que o efeito dessas palavras me acalmou, desejo que você também fique em paz com os seus desejos e valorize o que realmente é importante na sua vida. Obviamente continuaremos a trazer dicas de gastronomia, viagens e comprinhas, mas sem enlouquecer, minha gente. O exemplo dos casaquinhos foi meramente ilustrativo, no lugar deles adicione o nome de qualquer coisa que você mais deseja e reflita se é uma necessidade real ou o fruto da sua ansiedade em corresponder ao que a sociedade espera de você. A vida é mais! Na wish list da semana entram o bom senso e a alegria de viver pura e simples. Feliz consciência e boa semana!

Humm... acho que não.

Humm… acho que não.

Anúncios